InícioColunistasEditorialItapema vive sobre um tripé e não avança por falta de conhecimento...

Itapema vive sobre um tripé e não avança por falta de conhecimento e de gestão, responsabilidade de todos

- Advertisement -
balneario-camboriu
Não vejo na situação (governo) na oposição que quer governar Itapema, defender um projeto de desenvolvimento além do turismo que caminha sozinho e da industria da construção civil, são desprovidos do perigo que corre um país que só produz arroz ou só milho, se sobrevir a sua economia local uma crise ou algum evento da natureza, não sobreviverá (…)

Opinião: Desde  1990, acompanho de muito próximo o desenvolvimento dos municípios catarinenses e muitos deles tem mantido a tradição na forma de desenvolver a suas culturas sócio econômicas por vocação, destinando todo empenho administrativo e de gestão em uma linha de produção.

Tenho notado que algumas gestão ao logo dos 20 anos, tem pecado por excesso de gelo e falta de audácia, os tempos mudaram e a indústria tem diversificado os métodos de aplicação das sua mão de obra qualificada para migrar os setores, escalar os mercados de todos os ramos para não se fragmentar (…) Infelizmente, alguns ou quase todos ficaram parados no tempo, a exemplo de Itapema, segue estacionado apenas na orla e nas serras, o PIB do conhecimento local está focado na indústria da Construção Civil, que é por enquanto na base única de desenvolvimento da Orla banhada por 14 km de praia, atrair o turista e o cliente para adesão da compra do APTO (…)

A quem possa contestar que está ótimo isso já basta, muito bem, a indústria da Construção Civil por mais que ela avance, tem os seus limites, uma vez que o crescimento demográfico tende a estacionar, e a mão de obra para este setor tem a tendência em médio prazo saturar, e quando isto acontecer não haverá tempo para abrir outras frentes de trabalho, o que fatalmente levará a um êxodo inverso, e consequentemente, uma série de problemas surgirão, como a exemplo do Estado do Rio de Janeiro, que se esbanjavam nos royalties do petróleo, agora em fraca queda (…) correndo o risco de sofrer uma falência múltipla do setor público, por não desenvolver a sua indústria para todos os ramos, inclusive, não fez investimentos em desenvolvimento de produtos de alta tecnologia, uma vez, que havia recursos sobrando e os cientistas daquele estado não conseguiram por em prática as suas descobertas que agora poderia está entrando em operação no mercado nacional e mundial.

Itapema tem que abrir dos olhos, criar um conselho administrativo com técnicos para auxiliar no desenvolvimento da indústria local, a exemplo, quantas entidades o município possui inúmeras, quantas delas receberam subvenções do Estado? – Em Brasília, há recursos a fundo perdidos para estas entidades investir em desenvolvimento de diversas técnicas (…) vamos a um exemplo clássico, o Município se tivesse a visão, todas as Entidades dos Municípios teria recebido recursos dos governos Federal e Estadual para apoio as entidades ligadas ao esporte, educação, cultura e ciência.

Qual o custo para tais ações, o município aplicar seu corpo técnico a serviço da sociedade, auxiliando no desenvolvimento dos projetos e da organização e planejamento destas Entidades, lembrando que cada projeto financiado pelos governos do Estado e Federal em uma Entidade a exemplo a do Surf ou associação Casa Branca, é dinheiro que o município deixa de investir sobrando para investir em outros setores.

Cada real vindo dos governos Estadual e Federal para estas entidades que somados, receberiam cerca de um milhão de reais por ano, deixa de entrar devido à falta de vontade pública e de conhecimento (…) uma vez que atitude para estas ações tem que partir do Executivo.

Recursos que seriam investidos em todos os setores da sociedade, mas não e só isto, quando qualificamos o nosso quadro de servidores públicos para projetar o desenvolvimento da cidade, todas as ações e atividades humanas no Município deverão de ser contempladas para que todas as ações do governo Municipal dê suporte para todas as organizações se fortalece, e as mesmas servirão de alavanca para o desenvolvimento cultural, técnico e educacional da indústria local.

O Governo que não fortalece as entidades e suas instituições estão fadadas a levarem a estagnação do desenvolvimento de sua indústria.  Itapema, precisa ampliar o leque da sua mão de obra, (Univ. Novas Ind. apoio as Ent…)  para isso, é preciso que o Governo trabalhe de forma a organizar todos os setores e dar suporte, criar um conselho com a linha de pensamento das cidades desenvolvidas de primeiro mundo, “não se governa sozinho, quando o governo atrai para si o sentimento do coletivo, a sociedade emana e sua força, poder e constrói sobre as piores adversidades econômicas  mecanismo para assegurar as futuras gerações equilíbrio, sustentabilidade e independência”. (…), ou seja, uma cidade do porte de Itapema, não pode correr o risco de seguir sobre o tripé da Máquina Pública, Turismo e da indústria da Construção Civil.

José Santana – Itapemense de coração

 

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News