PMS, CACS E EMPRESÁRIOS SÃO SUSPEITOS DE DESVIAR ARMAS PARA FACÇÕES

Força-tarefa da PM e Gaeco de Pernambuco e Bahia, além de integrantes do Exército, prendeu 18 pessoas. Segundo investigação, o armamento ilegal é utilizado com frequência em ações denominadas do novo cangaço

ALESC: OBRAS PARADAS EM RODOVIAS E NOVAS UTIs EM ITAJAÍ MOVIMENTAM SESSÃO

- Advertisement -

 

 

DEPUTADOS PREOCUPADOS COM AS ESTRADAS CATARINENSES

A crítica reiterada à situação caótica das rodovias estaduais e a habilitação de cerca de 30 novos leitos de UTIs na região da Foz do Rio Itajaí movimentaram a sessão de quarta-feira (2/8) da Assembleia Legislativa.
O deputado Fabiano da Luz (PT) disse em seu discurso: “Estamos na primeira semana de agosto, mas estive tratando desse assunto em maio, em junho, em julho e agora retorno: a situação das nossas rodovias estaduais, ainda estamos aguardando uma posição do governo sobre o que vai acontecer, são 19 obras paradas e sete não iniciadas. Se passaram oito meses para avaliar, cancelar, refazer licitação, alterar projetos e até agora estamos no aguardo de decisões”. O deputado contou que na SC-120, entre Curitibanos e Lebon Régis, uma empresa particular comprou uma carga de asfalto frio e colocou os funcionários para tapar os buracos.
“No caso da SC-477, depois que um motociclista deu com a roda dianteira em um buraco e faleceu, fizeram uma rápida operação para tapar buraco”, contou Fabiano, que cobrou o posicionamento do Executivo, além de alertar para o risco de Judicialização dos contratos que não estão sendo executados.
Outro parlamentar, o deputado Neodi Saretta (PT) concordou com o colega e lembrou que no Oeste a situação abrange rodovias federais e estaduais. “Já disse aqui em outros tempos que todas as rodovias são importantes, mas para o Oeste demora sempre mais a melhoria e hoje a radiografia está clara, tanto as federais quanto as estaduais no comparativo com outras regiões estão bem abaixo”, avaliou Saretta.
Carlos Humberto (PL) e Massocco (PL) defenderam a atual gestão e garantiram que ainda em agosto o governo anunciará um plano de recuperação das rodovias. “Para as rodovias já foi conseguido o dinheiro para que se ataque tudo de uma vez só, serão todas revitalizadas”, anunciou Humberto.
“Em agosto o governador vai anunciar o pacote de revitalização”, garantiu Massocco, que ironizou o deputado Fabiano da Luz. “Parece que os buracos surgiram hoje da forma que ele fala”. Por outro lado, Carlos Humberto anunciou a habilitação de novos leitos de UTIs na região da Foz do Rio Itajaí.
“No recesso acompanhei a secretária Carmen Zanotto a Itajaí e Balneário Camboriú. No Hospital Infantil Pequeno Anjo foram habilitados 10 leitos de UTIs pediátricas e no Marieta Konder Bornhausen foram 29 leitos de UTI geral”, noticiou Humberto, acrescentando que em breve serão abertos mais dez leitos de UTIs na região.

PACTO FEDERATIVO

Mário Motta (PSD) criticou o atual pacto federativo e classificou de distorção o fato de o estado barriga-verde receber de volta apenas R$ 0,13 centavos de cada real enviado a Brasília na forma de impostos, desconsiderando no cálculo o montante pago pela União da dívida pública e dos juros dessas dívidas. “Segundo estudo da Fiesc, em 2020 Santa Catarina enviou R$ 69 bi em impostos e os investimentos da esfera federal somaram R$ 471 mi, por isso fica absurdamente clara a distorção. Se a União investisse na infraestrutura de transporte e logística, Santa Catarina iria contribuir ainda mais com arrecadação de impostos”, ponderou Motta. Em aparte, o líder do governo concordou com Motta e lembrou que o estado é o 6º que mais arrecada e o 24º “na hora de receber de volta os recursos”.

TARIFA ZERO

Marquito (Psol) defendeu na tribuna a chamada tarifa zero no transporte público, notadamente nas zonas metropolitanas. O representante de Florianópolis lembrou que Garopaba já implantou a tarifa zero, a exemplo de mais de 70 municípios espalhados pelo Brasil. “Estamos pautando este tema prioritário para a garantia do direito ao acesso ao transporte”, indicou Marquito.

CARTILHA DO ABORTO LEGAL

Ana Campagnolo (PL) criticou severamente a Cartilha de Atenção Humanizada publicada com o apoio do Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público Estadual (MPSC), Polícia Civil (PC), Defensoria Pública e Secretaria de Estado da Saúde (SES). “Recebi e imediatamente entrei em contato com o governo sobre a Cartilha de Atenção Humanizada para as meninas e mulheres em condições de interrupção de gravidez, que vão matar seus filhos e não serão punidas por isso. A Cartilha está falando em como matar seu bebê de forma legal com os riscos inerentes e tudo com o dinheiro do contribuinte”, disparou Campagnolo.
Segundo a parlamentar, o documento possui muitas falhas, entre elas por não falar sobre limite de idade gestacional e sobre o impacto na saúde da mulher que realiza o aborto. Campagnolo também criticou o fato de a mulher não precisar apresentar boletim de ocorrência de estupro no hospital, sendo que o estupro requer ação penal incondicionada, circunstância que obriga o médico a notificar o estupro, segundo a deputada.

FUNDO DE COMBATE AO CÂNCER

Neodi Saretta informou que a próxima reunião ordinária da Comissão de Saúde terá a participação da Rede Feminina de Combate ao Câncer para debater a criação do Fundo Estadual de Combate ao Câncer. “Aprovamos a criação do fundo, houve o veto, mas ainda tem a apreciação do veto e temos conversado com o governo para implantar o fundo”, explicou o presidente da Comissão de Saúde.

COBRANÇAS DA EDUCAÇÃO

Luciane Carminatti (PT) lembrou ao Executivo que a educação básica é responsabilidade dos estados e cobrou notícias positivas. “Estamos já em agosto e o assunto que me faz vir à tribuna é relembrar ao atual governador que nós já passamos do recesso escolar e estamos no aguardo de notícias positivas para a educação básica, que é responsabilidade do governo do Estado”, apontou Carminatti.
A deputada cobrou concurso público para professores; aumento salarial; mais vagas para mestrado e doutorado; reajuste do vale alimentação; investimento de 25% em educação; reversão da contribuição dos aposentados; e retorno da bolsa do ensino médio. “Precisamos de respostas”, insistiu Carminatti.

 

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News