ITAJAÍ CHEGA AOS 164 ANOS COMO POTÊNCIA DO PRESENTE DE OLHO NO FUTURO

Em comemoração ao aniversário de 164 anos de Itajaí, celebrado neste sábado (15), serão distribuídas cinco mil fatias de bolo à população. O corte do bolo será a partir das 15h, na Praça Vidal Ramos (Marco Zero),

Anitta diz que se inspirou em ex-namorados para criar ‘Boys Don’t Cry’

- Advertisement -


source
Anitta contou que teve a ideia da música no estúdio
Reprodução/Anitta

Anitta contou que teve a ideia da música no estúdio

Anitta trouxe o ‘Pop/Rock’ para a carreira e chegou com tudo com ‘Boys Don’t Cry’. Na música, a cantora traz referências dos filmes de Tim Burton e das músicas da banda Emo Panic At The Disco para o single do álbum ‘Girl From Rio’, quinto na carreira da artista. 

Em entrevista coletiva, Anitta contou as inspirações para a música, voltada para o mercado internacional. “Na época, eu estava no estúdio e recebendo um monte de mensagens de ex-namorados, pedindo para voltar, indo atrás de mim, um saco. Então tive a inspiração para fazer a música lá, fiz e deu certo, apesar da luta que foi para convencer a gravadora de lançar essa música como single e no álbum”, contou. 

Leia Também

Anitta também contou que hoje, não é a principal responsável pelos lançamentos e pelas músicas. Ela disse que a gravadora que faz as negociações e as estratégias de lançamento. “Eu só tive algumas ideias, as que foram aprovadas eu conto, porque de resto, nem sei. Só escolho meus figurinos, minhas maquiagens e meus boys”, disse, rindo. Veja o clipe de ‘Boys Don’t Cry’:


No clipe, Anitta entra na tendência Emo e traz referências a filmes de terror. Mas ela diz que sempre gostou do estilo, tanto, que não sabia que o Emo estava de volta aos assuntos mais comentados. “Não fico pensando muito em seguir as tendências, faço o que estou afim. Se é tendência, é, se não é, segue se quiser. Nem sabia que estava voltando o Emo para o mundo fashion”, contou. 

Ela também comentou que não pensa em colocar referências ao Brasil em todas as músicas. Para ela, o importante é fazer o que gosta e não se prende em colocar o país em todos os clipes. “Em algumas situações sim, sinto que tenho que colocar algo do Brasil, mas outras não. Acho forçação de barra colocar toda hora, se faz sentido com o contexto, coloco. Não vou forçar só porque sou brasileira, acho que o trabalho tem que fazer sentido”, conta. 

Fonte: IG GENTE

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News