PREFEITO DE BC ESTÁ EM BRASÍLIA PARA A MARCHA EM DEFESA DOS MUNICÍPIOS

O prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira está em Brasília para participar da 25ª Marcha em Defesa dos Municípios, mais conhecida como ‘Marcha dos Prefeitos’, o maior congresso municipalista do mundo, que começa nesta terça e vai até quinta-feira (23). 

BANEÁRIO CAMBORIÚ COMEMORA NESTE DIA 20 SEUS 59 ANOS DE VIDA INDEPENDENTE

- Advertisement -

EDITORIAL

“A humildade é a essência da Criação Divina. A primeira providência para o encontro com Deus é liquidar com o orgulho. Quando a pretensão termina, o poder tem início”.

                          Reverendo Stanley Eli Jones
                                   (1884 – 1973)

O processo de desenvolvimento do município de Balneário Camboriú teve início no fim da década de 1920, quando surgiram as primeiras casas de veraneio pertencentes a moradores da cidade de Blumenau. Mas, a atividade turística propriamente dita só começou a ser impulsionada na década de 1960, quando Balneário Camboriú passou a ser município emancipado em 1964.
Balneário Camboriú é um município brasileiro que está localizado no litoral norte do estado de Santa Catarina, Região Sul do país, pertencente à Região Metropolitana da Foz do Rio Itajaí e encontra-se a cerca de 80 km da capital do estado, Florianópolis.
A cidade, com suas colinas íngremes, suas belezas naturais, incrustada entre as montanhas e o mar, tornou-se muito popular entre os povos sul-americanos que para cá se deslocam, especialmente no verão. Sua principal via à beira-mar é a Avenida Atlântica, hoje incrementada pela construção de grandes e luxuosos edifícios, onde também se encontra grande parte dos seus famosos restaurantes e outros co mércios variados. Há também outras avenidas que se tornaram grandes vias de interligação entre as mais diversas áreas da cidade. Hoje, Balneário tem um teleférico que liga a praia central à praia de Laranjeiras, e por conseguinte todas as praias mais ao sul. Sua população, pelo censo de 2022, divulgada agora em 2023, é de 145.796 habitantes (em 2018 era de 138.732), porém pode chegar a mais de um milhão durante as temporadas quentes.
Relembrando: em uma reportagem publicada pela revista Forbes, em fevereiro de 2012, sobre a ascensão da música eletrônica no Brasil, Balneário Camboriú foi classificada como “a capital da música eletrônica” no país. A cidade também é conhecida pelo apelido de “Dubai Brasileira” devido ao seu alto número de arranha-céus e de turistas que ela comporta durante o ano inteiro. A cidade é servida pelo Aeroporto Internacional Ministro Victor Konder, localizado no município adjacente de Navegantes mais ao norte. Mais ao sul pelo aeroporto de Florianópolis.
Pontos turísticos naturais: A Ilha das Cabras é um deles e as travessias para a praia próxima de Laranjeiras ocorrem a bordo de navios semelhantes às embarcações piratas do século XVII, que dão uma volta à famosa ilha antes de retornar novamente a seu ponto de partida. A cidade também tem uma estátua semelhante ao Cristo Redentor no Rio de Janeiro, chamado “Cristo Luz”, mas com algumas diferenças: é um pouco menor que o Redentor e retrata Jesus com um círculo no ombro esquerdo, simbolizando o Sol, que abriga um holofote que brilha enviando seus raios para toda a cidade.

ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL

A Prefeitura de Balneário Camboriú conta atualmente com uma estrutura administrativa que preza pela qualidade de seus serviços e também pela agilidade de seus atendimentos. E mais, focada na qualidade de vida da população, a Administração Municipal possui uma estrutura dinâmica para atender tanto moradores quanto turistas, composta por Secretarias, Fundações, Autarquias e Empresas Públicas. O município disponibiliza diversos serviços on line para contribuintes e empresas, desburocratizando os seus atendimentos. Balneário Camboriú é um dos principais destinos turísticos do sul do Brasil e do Mercosul. Além de suas belíssimas praias e seus atrativos turísticos, a cidade possui um comércio forte durante todos os dias do ano.
Ao longo das altas temporadas, por exemplo, a cidade é visitada por mais de um milhão de pessoas. Para isso, Balneário Camboriú conta atualmente com uma infraestrutura capaz de atender a toda essa demanda turística, especialmente quanto a água que hoje é abundante também no forte do verão.
Não é segredo pra ninguém que o espaço mais badalado da cidade é a orla da Praia Central, com seus cerca de sete quilômetros de extensão, sua modernidade premente, seus edifícios suntuosos etc. Por toda a Avenida Atlântica há bares e restaurantes com gastronomia variada e música ao vivo que atende os mais apurados gostos.
Famosa internacionalmente pela verticalização de seus imóveis, Balneário Camboriú concentra alguns dos prédios mais altos do Brasil. Mas as edificações são apenas parte das atrações da cidade, que se destaca também pelas paisagens naturais e pelo contraste entre a imponência de seus arranha-céus e a singeleza das comunidades de pescadores. É um misto de construções que se mistura com os pontos atrativos, como o molhe da barra, a roda gigante, o teleférico e muito mais…
No entanto, todo esse progresso e esse sucesso desenvolvimentista só pode ser comemorado hoje, graças a homens de visão estratégica, que na década de1920 possibilitaram o surgimento das primeiras casas de veraneio, os primeiros pontos comerciais etc. Mas, a atividade turística propriamente dita, só foi impulsionada a partir da década de 1960, quando Balneário Camboriú passou a ser Município independente, no ano de 1964. De lá pra cá, a atividade turística tem sido incrementada constantemente, sendo Balneário Camboriú denominada de: “Capital Catarinense do Turismo”. Prova disso é o fato de o município ter entrado na rota dos cruzeiros marítimos, que já em sua primeira temporada possibilitou que a cidade recebesse mais de 81 mil visitantes.
Além do turismo de lazer, Balneário Camboriú também se sobressai no turismo de negócios e de eventos de toda natureza. Hoje, com a conclusão do seu Centro de Eventos, que depois de vários anos, hoje já está em plena atividade: (o local de 33 mil metros quadrados da mais moderna construção, tem à disposição seus modernos pavilhões de exposição, salas de convenções, espaços para lojas, praças de alimentação e de serviços, além de mais de mil vagas de estacionamento). Tudo isso fez com que a cidade desse um gigantesco salto pra frente.
Além de suas 10 praias, todas muito famosas, Balneário Camboriú conta ainda com outros atrativos turísticos como o Pontal Norte, Molhe da Barra Sul, Parque Natural Municipal Raimundo Gonzalez Malta, o Cristo Luz, o Morro do Careca e o Parque Unipraias, além de seus dois shoppings centers (Atlântico e Shopping BC), seu amplo e diversificado comércio, seus restaurantes e suas casas noturnas.

HISTORY REMEMBER

A história de Balneário Camboriú é mais antiga do que a maioria das pessoas imagina, uma vez que possui cerca de quatro mil anos. Isso mesmo. Porém, a maior parte desses milhares de anos ainda é um mistério para os historiadores, arqueólogos, antropólogos e pesquisados em geral. A única certeza é que quando os primeiros homens brancos e de origem portuguesa aqui chegaram, essas terras já eram habitadas. Portanto, não foram descobertas, somente repovoadas. Sabemos que aqui foi o lar de homens do sambaqui – como comprovam os 165 sepultamentos encontrados no sítio arqueológico escavado pelo Padre João Alfredo Rohr e sua equipe, na década de 1970, no local onde é hoje a praia de Laranjeiras. Também há indícios dos Tupi-Guaranis, Carijós e Kaingangs na região, pois essas etnias tiveram uma presença marcante em todo o Vale do Itajaí, além dos Xokleng no Alto Vale. Usamos o verbo “ter” no passado, pois suas populações foram reduzidas drasticamente a partir do século XIX, devido aos embates com os europeus que para cá migraram, pelas políticas de branqueamento impostas pelo Estado e pela contração de doenças que foram dizimando aos poucos esses antigos habitantes. Apesar da invisibilidade, essas populações ainda existem, resistem ao tempo e lutam por sua subsistência.
A presença dessas populações na região é tão latente, que começa pelo nome da cidade e também os de cidades vizinhas: Itapema (Pedra do Gavião) e Itajaí (Rio que corre sobre as pedras), todos com origem indígena. Lino João Dell’Antonio, no livro “Nomes Indígenas dos Municípios Catarinenses: significados e origens”, traz uma análise detalhada da origem e significado do topônimo. Ele afirma que há diversas interpretações para essa denominação, como rio que camba, em alusão ao rio (onde camba o rio). Ou seio grande em cima do morro, em alusão ao formato dos morros que cercam a região. Entretanto, para o autor: “Camboriú é termo indígena e significa (rio com camboas), em alusão às tapagens que se faziam para capturar peixes nas vazantes das marés’’.
Teoricamente, o povoamento de origem europeia começou nas redondezas com a distribuição das sesmarias (1822 e 1823) para sete homens que passaram a habitar a área com suas famílias. Seus nomes eram: José Ignácio Borges, Balthazar Pinto Corrêa, Bernardo Dias da Costa, Manoel Oliveira Gomes, Aurélio Coelho da Rocha, Felix José da Silva e Victorino José Tavares.
De acordo com o relatório do Presidente da Província, João José Coutinho, sobre a população da Província de Santa Catarina, em 1855, os dados sobre “Camboriú”, na Freguesia de Porto Bello eram os seguintes: Livres brasileiros homens: 838. Livres brasileiros mulheres: 889. Livres estrangeiros homens: 11. Livres estrangeiros mulheres: 1. Escravos homens: 130. Escravos mulheres: 95.
Observando esses números podemos fazer uma análise crítica ao documento e pontuarmos que, apesar de a historiografia tradicional dar todo o crédito do sucesso das sesmarias para os sete primeiros homens, eles não prosperaram sozinhos. Ao considerar a quantidade de mulheres brancas, que eram maioria, e também o número de pessoas escravizadas, fica evidente a sua participação no processo de desenvolvimento da sociedade local, tanto como força trabalhadora, quanto como agentes que contribuíram para a formação da cultura e identidade locais.

O COMEÇO DA HISTÓRIA…

Ao longo do século XIX, o Arraial do Bonsucesso, como era chamado, cresceu e virou uma Freguesia, no dia 26 de abril de 1849. Décadas depois, tornou-se o município de Camboriú, no dia 15 de janeiro de 1895.
A Igreja Católica Apostólica Romana é que tem uma presença mais antiga na cidade. O consenso popular afirma que a primeira capela foi inaugurada em 1758. Entretanto, as fontes não comprovam sua existência nesse período. A primeira documentação sobre ela aparece somente no século seguinte, mais especificamente na Lei Provincial de 28 de março 1840, que autorizava sua construção ao afirmar que: “Fica authorizado o Presidente da Província para permitir aos moradores das margens do Rio Camboriú, no Distrito da Freguezia de Porto Bello, a construção de huma Capella Filial com a invocação da Nossa Senhora do Bom Successo, mostrando haverem satisfeito o que pela Constituição do Bispado se exige para semelhantes construções”.
Ainda hoje, há controvérsias sobre o nome da capela, se é Santo Amaro ou do Bom Sucesso. No relatório da Paróquia do Divino Espírito Santo e Cristo Rei, de Camboriú, em 1966, ela ainda era chamada de Bom Sucesso. Entretanto, Balneário Camboriú já havia se emancipado em 1964, e o processo de desmembramento da igreja estava em andamento. Em 1967, Balneário Camboriú ganhou sua própria Paróquia, a Santa Inês, e a capela da Barra passou para sua tutela, rebatizada com novo nome, Santo Amaro, como o documento ao lado ratifica.
Na primeira metade do século XIX, ela era uma capela filial, pois Camboriú pertencia à Freguesia de Porto Belo. Quando o Arraial de Camboriú se tornou Freguesia, em 1849, ela foi promovida a Igreja Matriz do Bom Sucesso. Camboriú (cidade-mãe) tornou-se município em 5 de abril de 1884, com sede na Barra, porém, com o crescimento da população na chamada Vila dos Garcias, a sede municipal foi transferida para lá, em 1890. Alguns anos depois, a igreja Matriz também mudou para esse mesmo local. Nesse momento, ela retornou à condição de capela e, na documentação oficial, era chamada de Antiga Matriz, Capela da Barra ou de Capela de Nossa Senhora do Bom Sucesso.
A capela está envolta em mitos populares e polêmicas, difundidos pela oralidade ao longo do tempo. Um desses mitos é que foi usado óleo de baleia no reboco das paredes da igreja. Essa informação amplamente divulgada e que faz parte do imaginário popular, não é comprovada pelo relatório da análise de amostra de reboco, realizada pelo Laboratório de Materiais do Ateliê de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da Fundação Catarinense de Cultura. Outro mito que faz parte do imaginário popular é sobre a rachadura que se encontra no sino da capela, a qual teria acontecido por ocasião da abolição da escravatura. Supostamente, quando os escravos souberam da assinatura da Lei Áurea, teriam soado o sino ininterruptamente até ele rachar. Segundo estudos realizados o tipo de rachadura corresponde à provocada por queda. O sino ficava localizado em uma torre exterior, e as cordas que o prendiam ficavam expostas às intempéries, sujeitas à deterioração e ao rompimento.
A Capela de Santo Amaro é tombada nos níveis municipal e estadual, sob os Decretos nº 1.977, de 11 de agosto de 1989, e nº 2.992, de 25 de junho de 1998, respectivamente.
Com o desenvolvimento da Praia de Camboriú e o aumento no número de católicos no local, em 1957 foi construída a Capela Santa Inês no centro da cidade, ligada à Paróquia do Divino Espírito Santo, de Camboriú. Em 1967, ela se tornou Paróquia e, em seguida, iniciaram-se as obras para a construção de uma nova igreja. Em 1918, foi inaugurada a primeira escola do Canto da Praia, que depois se tornou a escola Laureano Pacheco.
Este é um pouco da história de Balneário Camboriú, falando de suas belezas naturais, seu crescimento, seu desenvolvimento ao longo dos tempos, e sua religiosidade tão presente em sua população.

Neste dia 20 de Julho de 2023, Balneário Camboriú comemora seus 59 anos de emancipação político-administrativa, com participação especial de suas autoridades municipais, sua gente ordeira e trabalhadora, suas crianças que graças a Deus crescem e se desenvolvem dentro dos melhores padrões de educação, e sua vocação extraordinária de “cidade que não pode parar”, nunca!

Parabéns, querida cidade!

“Parabéns a todos, moradores e administradores, de ontem e de hoje, que ao longo dos anos transformaram a pequena vila de outrora nesta magnífica, grandiosa e desenvolvida cidade. Parabéns aos homens e mulheres forjados na têmpera da lida, que com suas lutas, sua bravura, seu destemor e dinamismo ajudaram a construir aqui em Santa Catarina esta beleza rara chamada: BALNEÁRIO CAMBORIÚ”!

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News