DENÚNCIA: REFORMA DO IGP DE SÃO JOSÉ COMPLETA UM ANO A ESPERA DA EXECUÇÃO DA OBRA

- Advertisement -

Santa Catarina: Uma obra contratada pelo governo Carlos Moisés, em maio de 2020, orçada em R$ 266.5 mil reais, vencedora da licitação Construtora TS Ltda, para implementar a reforma da edificação que abrigaria o Instituto Geral de Perícias de São José, na grande Florianópolis.

Segundo a propaganda enganosa do Governo do Estado e Secretaria de Estado da Segurança Pública, tinha prazo de entrega de 150 dias, ou seja, cinco meses.

Pasmem, hoje, dia 19 de dezembro de 2021, completa 14 meses de abandono total do projeto, das instalações e da estrutura do local que está total precarização devido à falta de manutenção. Este mesmo governo que fez um lançamento de um mega investimento em infraestrutura em cidades de Santa Catarina.

O chefe do Executivo estadual anunciou a terça-feira, 14, o Plano 1000, que será viabilizado por meio do programa divulgado por Carlos Moisés que vai destinar R$ 7,3 bilhões para investimentos nos municípios ao longo dos próximos anos?!

Como acreditar em um governo que não teve a capacidade de proteger o dinheiro dos contribuintes, permitindo em plena pandemia, que uma “quadrilha” formada no interior do seu governo e adentrasse o setor mais sensível a Casa Civil para saquear R$ 33 milhões que era para salvar vidas de pessoas acometidas pela Covid-19?

Governo do Estado, Carlos Moisés, anunciando para prefeitos “cabos eleitorais o “Plano 1000”?

Como acreditar no programa “Plano 1000” que tem como pano de fundo a sua reeleição, um projeto político eleitoral quem tem indícios de compra de votos e propaganda extemporânea. Como chancelar Carlos Moisés, se não consegue se quer dar conta de entregar a reforma do “IGP” que completa 14 meses de abandono e vem iludir a população com falsas promessas, propaganda enganosa de que destinará R$ 7,3 bilhões para investimentos nos municípios. Cito um município beneficiado a cidade de Itapema, com R$ 69 milhões de reais por cabeça, “A base de cálculo do valor que cada prefeitura terá direito a receber considera R$ 1 mil por habitante, o que não é, necessariamente, um limite para que os bons projetos sejam realizados” disse Carlos Moisés na coletiva de imprensa.

São perguntas que deve ser feita aos pré-candidatos ao governo do estado de Santa Catarina, quais serão as medidas para impedir este estelionato eleitoral em plena pré-campanha a sucessão de 2022, sobretudo, alerta-se o Ministério Público Eleitoral, quais serão as medidas a serem adotadas para impedir que esta propaganda enganosa siga vitimando a confiança dos catarinenses.

Afinal, onde estão os fiscais da lei, os deputados estaduais responsáveis pela fiscalização dos contratos, das obras, entrega de obras, sobretudo, do IGP uma importante infraestrutura “ABANDONADA” deixando de atender com qualidade as demandas da Segurança Pública dos cidadãos?

Caso o governador ou sua assessoria tenha uma explicação o espaço está aberto para fazer o exercício cívico e legal da prestação de contas, indicamos o e-mail: josefolha857@gmail.com ou pelo whatsApp 47 99660-2945

Redação

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News