Dibea: oito cavalos estão disponíveis para adoção

- Advertisement -
Veja como fazer para adotar um animal dentro do programa executado em parceria com a Cavalaria da PM

A Diretoria de Bem-Estar Animal (Dibea) de Palhoça informa que oito cavalos estão disponíveis para adoção, dentro do projeto articulado junto com a Cavalaria da Polícia Militar. São cavalos vítimas de maus tratos ou que foram abandonados e acabaram sendo recolhidos pelos profissionais da Dibea.

“Há alguns requisitos que precisam ser preenchidos para confirmar a adoção, como oferecer um espaço adequado para o animal e não utilizar o cavalo para realizar trabalhos. O que nós queremos é que os animais tenham uma vida saudável e confortável”, explica o diretor da Dibea, João Gonçalves Neto.

A partir da adoção, os novos tutores se tornam responsáveis por manter os animais saudáveis e bem tratados. Ao confirmar a adoção, o adotante assina um termo de adoção de equino, que estabelece os direitos e deveres do novo tutor para com os animais adotados.

Ao assinar o documento, o adotante se declara apto a assumir a guarda e a responsabilidade sobre o animal e confirma estar ciente de todos os cuidados que o cavalo exige, no que se refere à sua guarda, manutenção, alojamento e alimentação; e a riscos inerentes à espécie no convívio com humanos, comprometendo-se a guardá-lo e a vigiá-lo, preservando sua saúde e integridade, e a submetê-lo aos cuidados médico-veterinários, sempre que necessário.

O adotante também não pode transmitir a guarda ou negociar a posse do animal sem o conhecimento do município.

O projeto da Dibea

Em agosto de 2020, a Prefeitura de Palhoça firmou um convênio com a Polícia Militar de Santa Catarina (PM/SC), por meio do Regimento de Polícia Militar Montada (Cavalaria), para recolhimento de cavalos em situação de maus tratos e abandono no município. A definição das condições em que é considerado o abandono está prevista na Lei Municipal 4.752, de 5 de agosto de 2019. Desde o início do convênio, mais de 150 animais já foram recolhidos.

A partir do momento em que o animal é recolhido, o proprietário tem 30 dias para solicitar o resgate do animal. Decorrido esse prazo, o cavalo estará disponível para adoção. Em caso de comprovação de maus tratos, o dono também perde o direito de propriedade sobre o animal, permitindo a adoção.

Desde o início do programa, 43 cavalos já foram adotados por novos tutores.

Quem tiver interesse em adotar um animal deve contatar a Diretoria de Bem-Estar Animal pelo telefone 3242-1512 ou pelo WhatsApp 99634-2260.

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News