DEFESA CIVIL ALERTA PARA VOLUMES ALTOS DE CHUVA NO RS

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul emitiu na noite de terça-feira (21) um novo alerta para chuvas intensas no estado, com volumes que podem ficar entre 120 mm e 150 mm na metade sul do estado para os próximos dois dias. 

ESPECIALISTA DA ANTÁRTICA FAZ ALERTA PARA MORADORES DA COSTA BRASILEIRA

- Advertisement -

Período de geadas deve diminuir no sul do Brasil

Costa do Rio Grande do Sul. (Foto: Reprodução).

Recentemente, o especialista Jefferson Cardia Simões, especializado em assuntos relacionados à Antártica, concedeu uma entrevista ao Portal GZH quando compartilhou insights sobre a Antártica e suas preocupações em relação ao Brasil e ao mundo. De acordo com o especialista gaúcho de 64 anos, as frentes frias provenientes da Antártica, que afetam o Brasil, podem estar em risco de diminuição devido ao aquecimento dos oceanos. Essa possível mudança tem o potencial de causar impactos significativos nas condições climáticas do país.

O RS PRECISA FICAR EM ALERTA

Além disso, Simões destaca que o aumento do nível do mar está impactando a costa brasileira, gerando consequências preocupantes para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Ele alerta que as mudanças climáticas já estão afetando o estado gaúcho, manifestando-se em estiagens frequentes e na redução das frentes frias. O especialista enfatiza que os estados do sul estão atrasados nos estudos sobre o clima, o aumento do nível do mar e, especificamente, sobre a Antártica.

“O Rio Grande do Sul está atrasado. Precisamos saber quais as consequências para a planície costeira gaúcha com o aumento do nível do mar esperado para os próximos 30 a 80 anos. Temos cenário de aumento de até 1m20cm nos próximos 80 anos. Isso terá consequências sérias no urbanismo litorâneo. A frente da linha costeira da região não será mais a mesma”, destaca.

Simões diz que o perfil da linha costeira será alterado significativamente devido ao aumento do nível do mar e às mudanças climáticas. Esses desafios exigem uma ação imediata para garantir a sustentabilidade e a resiliência das comunidades costeiras.es q

NECESSIDADE DE POLÍTICAS PÚBLICAS

Simões falou especificamente do RS, mas como Santa Catarina está intestinamente ligada com o estado gaúcho, ele ressalta a necessidade de políticas públicas e investimentos para lidar com essas questões urgentes, incluindo o planejamento para adaptação às mudanças climáticas e seus impactos na agricultura e na infraestrutura costeira.

“Temos de pensar que a geração dos nossos netos viverá em um RS e demais estados do Sul, 2°C mais quente, ou mais, com uma distribuição de precipitação diferenciada”, diz o estudioso

ANTÁRTICA

Quanto ao aquecimento da Antártica, estudos indicam que o aumento das temperaturas globais, combinado com outros fatores como ventos mais intensos está contribuindo para o derretimento gradual do continente gelado, especialmente nos meses de verão.

Essa tendência foi confirmada por observatórios climáticos, que registraram no ano passado (2023) o menor nível de gelo na Antártica em 45 anos.

Por Raianne Romão

 

 

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News