GOVERNADOR E SECRETÁRIO DA FAZENDA REFORÇAM AÇÕES DO ESTADO AO SETOR PRODUTIVO

- Advertisement -

 

EVENTO OCORREU NA CIDADE DE BRUSQUE

Em encontro com cerca de 400 empresários e lideranças políticas do Vale do Itajaí nesta segunda-feira (29), em Brusque, o governador Jorginho Mello e o secretário Cleverson Siewert (Fazenda) reafirmaram propósitos do Governo do Estado: dialogar com o setor produtivo, estabelecer parcerias e garantir novos saltos de crescimento para Santa Catarina. Durante o 23° Almoço de Ideias realizado pela ACIBr – Associação Empresarial de Brusque, Guabiruba e Botuverá, os incentivos à economia catarinense e o ajuste fiscal que vem sendo implementado pelo Poder Executivo entraram em pauta.
— O Governo de Santa Catarina tem trabalhado a várias mãos, unindo esforços pelo nosso Estado. Pensando no setor produtivo, fizemos a Reforma Administrativa a custo zero, criamos quatro secretarias voltadas ao comércio, à indústria, aos portos, à tecnologia e ao turismo. Nosso objetivo é revitalizar e inovar, garantindo condições para que o empresário possa produzir ainda mais, dando a qualidade de vida que os catarinenses merecem. Santa Catarina tem pressa — disse o governador aos empresários.

Benefício fiscal é fator de competitividade

Convidado a falar das projeções para Santa Catarina no futuro, o secretário Cleverson Siewert apresentou o diagnóstico das contas estaduais e as medidas colocadas em prática a partir do Plano de Ajuste Fiscal de Santa Catarina (Pafisc). As ações envolvem a busca de R$ 2,1 bilhões em novas receitas, o corte de R$ 2,2 bilhões em despesas e a desburocratização – uma das metas é extinguir a DIME, declaração extensa entregue pelos contribuintes mensalmente. Um dos objetivos do plano, explicou Cleverson Siewert, é garantir os R$ 2,8 bilhões extras que o Poder Executivo precisa para honrar os compromissos assumidos em anos anteriores e cumprir a previsão orçamentária de 2023.
Em seus recados às lideranças empresariais, o secretário reconheceu o papel estratégico dos incentivos fiscais no desenvolvimento econômico do Estado e a importância de se garantir a competitividade do setor produtivo.
— Temos total clareza de que benefício fiscal é fator de competitividade, indução de desenvolvimento e item fundamental para a nossa lógica de gestão — reforçou.
A revisão dos benefícios prevista no Pafisc, garantiu o secretário, será colocada em prática para corrigir excessos, sem prejudicar a competitividade das empresas catarinenses.
O secretário também defendeu a criação de um teto de gastos para resguardar o dinheiro dos catarinenses no futuro, uma forma de impedir que o histórico recente de desequilíbrio das finanças estaduais se repita.
— Santa Catarina carrega uma mensagem de pioneirismo, de transformação. Tenho certeza de que, juntos, podemos caminhar ainda mais na direção deste propósito — concluiu.
Também estiveram presentes no 23º Almoço de Ideias da ACIBr a secretária Carmen Zanotto (Saúde) e o secretário Jerry Comper (Infraestrutura).

Fotos: Ricardo Trida / Secom

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News