ITAJAÍ RECEBE REPRESENTANTE DO ALTO COMISSARIADO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA REFUGIADOS

- Advertisement -

CERIMÔNIA RECONHECEU O TRABALHO DO MUNICÍPIO EM FAVOR DOS MIGRANTES

O Município de Itajaí recebeu nesta quinta-feira (21) o representante do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), William Torres Laureano da Rosa. O encontro ocorreu na sede do Fórum Universitário e teve como objetivo reconhecer as ações de apoio aos migrantes e refugiados desenvolvidas na cidade. Itajaí foi um dos 17 municípios brasileiros destacados no I Relatório de Cidades Solidárias da ACNUR.
Os atendimentos aos migrantes são realizados por meio de uma parceria do Município com a Polícia Federal e o Núcleo de Apoio ao Migrante (NAM), projeto de extensão vinculado à Universidade do Vale do Itajaí (Univali). Entre as atividades principais, estão as orientações sobre a regularização de documentos e o processo de naturalização.
—- Estamos há 20 anos trabalhando nisso, por entendermos que as universidades são um polo significativo dentro da sociedade, capaz de exercer este papel articulador e de ensinar aos brasileiros sobre a realidade do deslocamento forçado, reduzindo o preconceito com relação ao refugiado e prestando um serviço importante a esta população – destacou o representante da ACNUR, William Torres Laureano da Rosa.

CIDADE SOLIDÁRIA

O serviço de regularização documental oferecido pela Delegacia de Migrações da Polícia Federal, que fica em Itajaí e atende migrantes de 46 municípios da região, foi uma das 27 ações do Brasil destacadas como modelo no I Relatório Cidades Solidárias Brasil: proteção e integração de pessoas refugiadas no plano local. O documento, publicado pela ACNUR em 2022, cita os esforços de 17 municípios brasileiros para implementar políticas públicas que promovem a acolhida, o acesso a direitos e mecanismos de integração de pessoas refugiadas, solicitantes da condição de refugiados e migrantes.
Com o apoio do Município, através da contratação de acadêmicos da Univali, os atendimentos realizados pela delegacia aumentaram significativamente. O volume médio de emissões de Carteiras de Registro Nacional Migratório (CRNMs) no município subiu de 2,5 mil para quase oito mil ao ano. Com isso, Itajaí saltou da 18ª posição no ranking de emissões para a oitava no país.
—- Itajaí tem orgulho de se engajar nesse processo, receber bem o migrante e ajudá-lo a se desenvolver e buscar o seu sustento de forma digna. Sabemos que se todos os países fizessem a sua parte, não teríamos a crise migratória que temos hoje – ressaltou o vice-prefeito de Itajaí, Marcelo Sodré.

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News