PESCADORES ARTESANAIS CAPTURAM MAIS DE 780 MIL TAINHAS NA MODALIDADE ARRASTO DE PRAIA

- Advertisement -

Os pescadores artesanais de arrasto de praia do Litoral de Santa Catarina comemoram um marco significativo na safra da tainha deste ano, superando amplamente as capturas do ano anterior. Usando a tradicional técnica de arrasto de praia, eles conseguiram capturar mais de 780 mil tainhas, um número que não apenas reflete a abundância do pescado, mas também a eficiência e dedicação das comunidades pesqueiras. Na safra do ano passado foram 505.502 tainhas capturadas.

– Temos várias modalidades da pesca da tainha no Litoral e nós do Governo do Estado estamos acompanhando de perto todas elas e trabalhando nas ações possíveis para auxiliar os nossos pescadores. O arrasto de praia não possui cota e isso contribui para uma grande mobilização de famílias nos ranchos. Toda essa magia de puxar a rede e ver a tainha ser capturada faz parte de toda a questão cultural que envolve a pesca em Santa Catarina. A Secretaria da Pesca foi criada pelo nosso governador Jorginho Mello para fortalecer cada vez mais o setor – reforçou o secretário de Estado da Aquicultura e Pesca, Tiago Bolan Frigo.

Estimativas levantadas pela plataforma Informações da Pesca (IDP), diretamente com os ranchos de pesca, apontam que desde o início da safra até o dia 12 de junho de 2024 a cidade de Florianópolis liderava a lista com o maior de número de tainhas capturadas, com um total de 339.960 peixes. Logo atrás, aparece Bombinhas, com 282.324 tainhas capturadas e em terceiro lugar está Palhoça, com 39.393 tainhas. Ao todo são 1.326.363 quilos, o equivalente a 780.214 tainhas capturadas até essa quarta-feira, 12. Estimativa realizada pela plataforma informações da pesca com base nas capturas feitas nos ranchos.

– As coletas de dados das informações levantadas sobre as tainhas capturadas pelo Litoral catarinense são feitas com base nas informações repassadas pelos donos das embarcações e ranchos de pesca. A quantidade de peixes capturados é atualizada em uma tabela que mostra um panorama do estado. É um trabalho que traz uma estimativa da safra para auxiliar na contabilização desses dados – informou o coordenador do IDP, Marcelo Alcioni da Silva.

A técnica de arrasto de praia envolve o uso de redes puxadas manualmente com o auxílio de pequenas embarcações, diretamente da praia. Um dos fatores que podem ter contribuído para o sucesso desta safra em Santa Catarina incluem as condições climáticas e principalmente a diminuição drástica da captura de Tainha dentro da Lagoa dos Patos (RS) neste ano. O impacto econômico do aumento na captura de tainha é significativo para as comunidades costeiras, que dependem da pesca como principal fonte de renda.

Por Osvaldo Sagaz – Secom

Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Arquivo / SECOM

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News