PF prende mulher com petrechos para arma de fogo sem autorização para importação

- Advertisement -


 Guarulhos/SP – A Polícia Federal, em ação conjunta com a Receita, prendeu no Aeroporto Internacional de São Paulo, na quinta-feira (24/6), uma passageira de voo internacional que desembarcou dos Estados Unidos, trazendo em sua bagagem grande quantidade de petrechos para armas de fogo sem a devida autorização legal.

 Servidores da Receita Federal, que fiscalizavam os passageiros que desembarcaram de voos internacionais, selecionaram uma mulher e seus dois acompanhantes, que haviam optado por passar pelo canal alfandegário nada a declarar e os conduziram para inspeção indireta das bagagens, por meio do aparelho de raio-x.

Dentro das malas, os servidores observaram a existência de grande quantidade de peças metálicas. Os passageiros foram conduzidos às bancadas, para que suas bagagens fossem abertas na presença de testemunhas. Dentro das malas, os servidores encontraram uma grande quantidade de kits de Die’s, cartuchos de munições e peças para armas de fogo, cuja importação necessita de autorização prévia do Exército, por se tratar de produto controlado.

A PF foi acionada e conduziu os passageiros à sede policial. A suspeita recebeu voz de prisão, após ficar constatado que ela não possuía quaisquer documentos que autorizassem a importação do material encontrado. Em seu depoimento, a presa disse que adquiriu os materiais por meio da internet e os recebeu em sua casa no estado da Califórnia, nos Estados Unidos. Ela disse ainda que o material foi adquirido a pedido de seu irmão e que tampouco sabia que tal transporte, sem as devidas autorizações legais, era crime tanto nos Estados Unidos como no Brasil.

A presa será apresentada à Justiça Federal, onde responderá pelo crime de contrabando.

Comunicação Social da Polícia Federal no Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos

Contato: (11) 2445-2212

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News