POLÍCIA CIVIL FAZ NOTA DE ESCLARECIMENTO À SOCIEDADE CATARINENSE

- Advertisement -

ADEPOL-SC vem a público esclarecer e contextualizar informações inverídicas em face do movimento “Segurança em Alerta”: Trata-se de movimento de sensibilização ao executivo estadual, com o objetivo de dar efetividade às discussões da reforma da previdência estadual, antes mesmo que as discussões aportem no legislativo estadual; O movimento teve a adesão, em todo o estado, por policiais civis de diversas carreiras, do instituto geral de perícias e a polícia penal, conforme vídeos postados nas redes sociais;

A Segurança Pública Civil não busca nenhuma categoria de privilégio ou benefício, somente, uma simetria mínima às regras federais, da mesma maneira em que aos diversos estados da federação que já definiram a previdência de seus policiais civis, definindo-se, então, regras de transição razoáveis, pensão por morte digna, idade mínima, dentre outras peculiaridades à atividade policial; A Segurança Pública Civil já paga a alíquota do funcionalismo estadual de 14%;

A Segurança Pública Civil é superavitária (ou seja, paga seus inativos); A Segurança Pública Civil não é a causadora do déficit da previdência; E, portanto, a ADEPOL-SC está, como sempre esteve aberta a um diálogo efetivo, que encontre razoabilidade e consistência, num texto que atenda à Segurança Pública Civil do Estado e as suas especificidades.

Florianópolis, 24 de junho de 2021.

VIVIAN GARCIA SELIG
Presidente da ADEPOL-SC

E, DIRETORIA.

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News