PORTO BELO: CÂMARA APROVA CENSO DE INCLUSÃO DE PESSOAS AUTISTAS

Programa Municipal Censo de Inclusão das Pessoas com Deficiências, Transtorno do Espectro Autista e de seus familiares é aprovado pela Câmara de Vereadores de Porto Belo. Evento ocorreu nesta quarta-feira (17), quando o Censo de Inclusão das Pessoas com Deficiências, Transtorno do Espectro Autista (TEA) e de seus familiares foi aprovado pelos parlamentares locais.

VIAGEM DE LULA À CHINA PODE SELAR ADESÃO À NOVA ROTA DA SEDA

- Advertisement -

 

ESTADOS UNIDOS FICAM DE OLHO…

Segundo diplomatas ouvidos pelo site Metrópoles, há grandes chances do presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinar um memorando de entendimento para a entrada do Brasil na iniciativa chinesa da Nova Rota da Seda em sua viagem a Pequim.
        O portal afirma que a possível adesão do Brasil foi um dos principais pontos postos à mesa pelo governo chinês nas tratativas diplomáticas para chegar à versão final do comunicado oficial que sairá do encontro entre Lula e Xi Jinping, com uma síntese de todos os acordos acertados entre os dois governos.
Ainda segundo a mídia, o documento já estava pronto mesmo antes de Lula adiar sua visita por questões de saúde. E agora, com o “tempo a mais”, alguns ajustes podem ter sido feitos, porém, o que é essencial já está definido, relata a mídia.
       O governo chinês aprovou a nova data enviada pelo Itamaraty para viagem do presidente, e Lula sairá do Brasil rumo a Pequim no dia 10 de abril. Seu encontro com Xi Jinping deve acontecer entre os dias 13 e 14.
        A Nova Rota da Seda conta hoje com 140 países. Duas dezenas deles estão na América Latina. Um dos últimos países a aderir ao programa foi a Argentina, na visita que o presidente Alberto Fernández fez à China no ano passado. Ao assinar o acordo, Fernández anunciou a promessa dos chineses de destinar US$ 23 bilhões (R$ 116 bilhões) a Buenos Aires para obras e projetos.

EUA MEIO MELINDRADOS

        A aproximação do Brasil com a China vai contra a expectativa dos Estados Unidos de isolar o país asiático, principalmente na América Latina, região que estabelece cada vez mais parcerias com os chineses.
       Segundo a mídia tem informado, o contexto geopolítico atualmente delicado com uma polarização entre EUA e China explica a discrição em torno da adesão do Brasil à Nova Rota da Seda. Justamente em razão da sensibilidade do assunto e de seus possíveis reflexos diplomáticos, as tratativas sobre esse tópico da agenda com a China têm sido limitadas à alta cúpula do Itamaraty e a um grupo restrito de assessores presidenciais.
        A questão é, antes de tudo, política, e está diretamente ligada à guinada na estratégia da diplomacia brasileira a partir da posse de Lula. Sob a orientação do ex-chanceler Celso Amorim, conselheiro do presidente para assuntos internacionais, o Brasil já sinalizou que pretende voltar a apostar no fortalecimento do BRICS.

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News

Isso vai fechar em 20 segundos