Vamos despertar!

- Advertisement -

Nós somos milhares que estávamos sedentos por mudanças, que nos manifestamos e nos mobilizamos para que acontecessem e hoje estamos inertes e indiferentes como se a política já não fizesse mais parte de nossas vidas.
Vamos despertar, pois se não acordarmos, tentarão trazer para o presente, novamente, o que levamos anos para transformar, que é a prática da velha política, sempre exercida pelos mesmos grupos e pessoas que reconhecem no poder a única maneira de passar pela vida.
Sejamos sinceros, reconhecer que tivemos grandes gestores públicos públicos que ao longo da história do nosso Estado, contribuíram para o seu crescimento e estabelecimento no cenário político nacional como uma referência política, social e econômica, é uma demonstração de reconhecimento, grandeza e gratidão.
Agora, sejamos sinceros, também, para reconhecer que a partir do momento que o Coronel Carlos Moisés, elegeu-se para o cargo mais importante do nosso Estado, de forma esmagadora e legítima, um grupo de políticos, que representa o povo que desejava a mudança, decide não aceitar e de forma antidemocrática, a vitória conquistada nas urnas e quer resgatar o “status quo” da velha política por não concordarem com a forma de administrar desse governo que saneou as finanças do nosso Estado, pagou dívidas milionárias, enxugou a máquina administrativa, reduziu valores de despesas correntes, colocou o Estado no ranking de melhor gestão pública do Brasil, alcança de forma crescente ótimos números no setor industrial, no agronegócio e na oferta de empregos, conseguiu devolver aos catarinenses um dos maiores símbolos do nosso Estado, a Ponte Hercilio Luz, cartão postal de Florianópolis, que a quase quatro décadas passava por reformas de recuperação e que hoje já contribuí para mitigar o impacto do nosso trânsito na vida dos catarinenses que vivem na região da Grande Florianópolis, bem como de todos aqueles que circulam por essas bandas, contribuindo de forma significativa com a mobilidade Urbana e, ainda, priorizou a reforma das Pontes Colombo Salles e Pedro Ivo Campos, já em avançado estado de deterioração, há algum tempo, o que já assustava os seus usuários, tudo isso em plena pandemia.
É esse governo de Carlos Moisés que nossos legisladores estão querendo tirar do poder, sob o pretexto que cometeu crime de responsabilidade.
Quero crer que o maior crime que se pode cometer nesse momento é querer interromper essa trajetória de sucesso e a inquestionável vontade do povo catarinense quando o elegeu.
Vamos despertar, pois alguns ilustres integrantes do poder Legislativo, demonstram por assim proceder, que querem, também, administrar o poder Executivo, tirando de maneira odiosa e injusta o Governador Carlos Moisés, do poder que o povo o conferiu.
Em que pese essa celeuma e práticas eivadas de injustiças por parte de integrantes do poder Legislativo, não deixemos de acreditar que tudo isso não prosperara, pois passará pelo crivo do poder Judiciário do nosso Estado.
É um poder que sempre nos orgulhou pelo brilhantismo dos seus integrantes e pelas decisões imparciais que sempre praticou ao longo de sua existência.
Não será um momento de esperança, mas sim um momento da certeza que será praticada a Justiça.
Vamos despertar e demonstrar aos poderes do nosso Estado que estamos atentos às suas práticas e que a independência e harmonia entre eles é fundamental para nosso bem estar político, econômico e social.
Vamos despertar, pois se assim não procedermos, poderemos acordar e imaginar que estamos vivendo um pesadelo. Afinal, não queremos que alguém seja capaz de destruir aquilo que levamos tanto tempo para construir.
Vamos despertar

Redação
Redaçãohttps://www.instagram.com/folhadoestadosc/
Portal do notícias Folha do Estado especializado em jornalismo investigativo e de denúncias, há 20 anos, ajudando a escrever a história dos catarinenses.
- Advertisement -
Must Read
- Advertisement -
Related News